fbpx
3447-7000 / 3421-2112 contato@farmaciaproderma.com.br
5 vantagens de manipular seu medicamento

5 vantagens de manipular seu medicamento

A Manipulação de medicamentos começou a se consolidar em 1866. Desde esse período, é possível identificar diferentes vantagens na manipulação de medicamentos, já que ela possibilita a completa personalização de fórmulas. Por isso, separamos as 5 principais vantagens de realizar a manipulação da sua fórmula:

MAIS ECONOMIA PARA SEU BOLSO

Os medicamentos manipulados são a melhor opção quando o assunto é economia. Por eles serem fabricados na quantidade exata prescrita pelo médico, isso evita que o medicamento seja desperdiçado com sobras.

MAIS SEGURANÇA PARA VOCÊ

As farmácias de manipulação precisam seguir normas rígidas de segurança, estipuladas pelo Ministério da Saúde. Por conta disso, existem fiscalizações extremamente rigorosas que ficam de olho nas matérias primas utilizadas e no processo de manipulação, garantindo que o alto padrão de qualidade seja mantido.

PODE SER FEITA A ASSOCIAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Algumas doenças precisam ser tratadas com diferentes medicamentos ao mesmo tempo, então quando isso ocorre, com o intuito de facilitar o tratamento, o médico pode prescrever uma fórmula que possibilite a associação de todas as substâncias em um único produto, desde que não haja incompatibilidade entre os princípios ativos. Isso, além de facilitar na organização, ainda pode contribuir com a economia do paciente.

DOSE CERTA PARA VOCÊ

Somente nas fórmulas manipuladas é possível prescrever a dose exata necessária para cada pessoa. Elas podem ser 100% personalizadas para suprir as necessidades de cada organismo.

RÓTULO PERSONALIZADO

Nos rótulos das fórmulas manipuladas, existem todos os dados do paciente, evitando que o medicamento seja perdido ou consumido pela pessoa errada. O consumo de medicamentos sem orientação médica pode causar problemas de saúde graves para o ser humano, por isso, é importante estar sempre atento.

Entregar sua receita nas mãos de uma farmácia de manipulação é a certeza de estar buscando por mais qualidade, economia e saúde. Faça um orçamento com a Proderma.

São anos de tradição e qualidade levando toda a saúde que você e sua família merecem.

INSÔNIA: Como acabar com esse mal?

INSÔNIA: Como acabar com esse mal?

Não ter uma boa noite de sono pode trazer sérias consequências, como a perda de atenção, falta de foco, dores de cabeça além de, em casos mais extremos, enjoos e mal-estar. De três brasileiros, pelo menos um sofre de insônia – distúrbio que é caracterizado pela dificuldade em pegar no sono ou se manter dormindo.

Mas afinal, o que causa a insônia?
A Insônia normalmente é causada por fatores psicofisiológicos como:
● ansiedade;
● preocupação;
● estresse;
● expectativas;
● entre outros.

Outro fator que também pode causar insônia são dores física ou problemas de saúde como dificuldade de respirar, por exemplo.

Como tratar?

Existem muitas formas de tratar desse mal que assombra muitos brasileiros, como medicamentos, tratamentos psicológicos, entre outros. Porém, o primeiro passo para melhorar a qualidade do sono é começando com a higiene do sono, tirando tudo aquilo que pode atrapalhar ou interferir em uma boa noite.

Montamos um passo a passo para que você possa identificar os problemas e resolvê-los em busca de um bom sono.

ADOTE HORÁRIOS REGULARES PARA IR DORMIR

Procure sempre ir dormir no mesmo horário e levantar no mesmo horário, habituando seu corpo para que aquele seja sempre o momento em que seu cérebro precisa se desvincular das preocupações e desligar.

EVITE DORMIR DURANTE O DIA

Tudo bem, sabemos que quando a noite é péssima, a vontade de tirar um cochilo é imensa, mas é preciso evitar isso para que o corpo não crie uma rotina errada de sono. Caso você durma durante a tarde, a noite seu corpo estará descansado e ficará ainda mais difícil pegar no sono.

FAÇA ATIVIDADES FÍSICAS DE MANHÃ OU À TARDE

Exercícios físicos só trazem benefícios para nosso corpo e mente. Procure praticar uma atividade física no período da manhã ou tarde, para que a agitação da atividade não interfira no seu sono. Isso deixará seu corpo mais relaxado e o sono virá com mais facilidade.

EVITE CAFEÍNA

Bebidas com cafeína como café, refrigerantes, chás, entre outros podem interferir diretamente na qualidade do seu sono. Procure evitar alimentos com alta concentração de energia, como chocolate e muito açúcar durante a noite também.

COMA ALIMENTOS LEVES NO JANTAR

Sim, o que você come e bebe durante a noite interfere diretamente no seu sono. É preciso tomar muito cuidado, para que tudo que é consumido não tenha cafeína, ou seja energético de alguma forma. Comer muito e alimentos pesados dificulta pegar no sono e ainda pode causar pesadelos.

EVITE BEBIDAS ALCOÓLICAS

Recomenda-se evitar o consumo de bebidas alcoólicas até 6 horas antes de dormir, pois o primeiro efeito do álcool é ser sedativo e depois se transformar em euforia, algo que não queremos na hora de dormir.

NÃO LUTE COM A INSÔNIA

Ir deitar sem sono não ajuda em nada para que você consiga ter uma boa noite. Muito pelo contrário, por você não conseguir dormir seu corpo começará a ficar agitado e ansioso. Faça alguma atividade relaxante, com a luz baixa até você sentir que o sono está chegando. A leitura, por exemplo, costuma ajudar bastante. Nesse momento, procure deitar-se com calma e relaxar seus pensamentos.

CRIE UM BOM LUGAR PARA O SONO

Tire despertador, celular, wi-fi, televisão e qualquer coisa que tenha luz e que possa interferir na qualidade do seu sono. Aparelhos eletrônicos devem ficar sempre fora do quarto, para que você resista a vontade de olhar algo na internet ou então perder horas assistindo filmes e séries.

Essas dicas irão ajudar quem tem insônia leve, ou seja, que apesar de ter certa dificuldade, ainda consegue dormir uma noite ou outra. Caso você tenha muitos problemas com o sono e não consiga dormir de forma alguma, procure ajuda de um médico, para que ele possa prescrever o tratamento ideal para seu tipo de distúrbio.

Como funciona uma farmácia de manipulação?

Como funciona uma farmácia de manipulação?

As farmácias de manipulação são os locais onde são produzidas as fórmulas prescritas de medicamentos. Essas prescrições são manipuladas de acordo com as necessidades de cada pessoa, sendo totalmente personalizadas.

As farmácias de manipulação produzem praticamente qualquer medicamento, como dermocosméticos, homeopatias, alopatias, suplementos vitamínicos e minerais, fitoterápicos, e medicamentos que já não são mais produzidos pela indústria farmacêutica.

Solicitando a manipulação de um medicamento, você consegue mudar a forma farmacêutica de um medicamento, por exemplo, transformando de pó para solução ou de solução para cremes, ou cápsulas, géis, cremes e até injetáveis. E é por isso que as farmácias de manipulação existem: para atender as necessidades e especificações de cada cliente de forma personalizada, visando entregar o que há de melhor e que vai atender da forma certa seus objetivos.

QUAIS AS VANTAGENS DE CONSUMIR MEDICAMENTOS MANIPULADOS?É PERSONALIZADO

Já falamos bastante sobre isso no tópico anterior, mas não podíamos deixar de fora da lista de vantagens o fato de os medicamentos manipulados serem completamente personalizados. Essa é a principal vantagem quando tratamos de farmácia de manipulação, porém não é a única.

FORMA DE PRODUÇÃO

A forma de produção de um medicamento pode interferir na duração de um tratamento, por isso, com as farmácias de manipulação, temos a opção de mudar a forma que um medicamento é produzido de acordo com as necessidades do nosso próprio corpo.

Lembrando que todas as alterações de medicamentos passam por um responsável e são fiscalizadas por diferentes órgãos, sendo tudo rigorosamente regulamentado.

AJUDA A PRESERVAR O MEIO AMBIENTE

Você sabia que os medicamentos manipulados ajudam o meio ambiente? Como as dosagens e quantidades de remédios são exatas, isso reduz o desperdício e o descarte de produto, diminuindo a quantidade de lixo químico na natureza.

MANIPULAÇÃO DE FÓRMULAS COMPOSTAS

Você pode colocar na fórmula diferentes substâncias ativas, desde que uma não interfira na outra (a chamada interação medicamentosa). Os benefícios disso são muitos, como:

– praticidade de carregar menos frascos de medicamentos;

– menor chance de erros na hora de tomar sua medicação; e

– melhoria nos custos do tratamento.

Como é possível perceber, a farmácia de manipulação é essencial para o mercado da saúde, sendo a opção perfeita para quem precisa de medicação personalizada e ainda ajudando na redução de lixo no meio ambiente e de custos para seus clientes.

Traga sua receita para a Proderma e comprove você mesmo.

Saiba como cuidar da pele durante o inverno.

Saiba como cuidar da pele durante o inverno.

Aquela pele bonita e saudável é o sonho de muita gente né?!

Tanto que as rotinas de SkinCare viraram moda e hoje a maioria das pessoas entende a importância de dar uma atenção especial para a pele, principalmente durante o inverno, quando os ventos gelados e a falta de umidade a danificam bastante.
Mas calma, não é tão difícil conquistar a pele dos sonhos. Cuidar da sua pele demanda tempo e cuidados específicos. Em primeiro lugar, sugerimos que você visite um dermatologista para que ele possa indicar os melhores produtos para o seu tipo de pele antes de você começar sua rotina. Feito isso, siga algumas dicas essenciais que podem ser utilizadas a partir de agora para deixar sua pele ainda mais bonita e saudável:

HIDRATAÇÃO SEMPRE

A desidratação dérmica faz com que a pele fique muito seca, perdendo seu aspecto saudável e sua textura acetinada. A perda de água cutânea ocasiona também o aparecimento de rachaduras e de manchas esbranquiçadas sobre a pele. Esses sinais vêm, muitas vezes,
acompanhados de prurido e outros desconfortos.
Cremes hidratantes muitas vezes atuam mais do que como simples cosméticos. Por diversas vezes exercerem efeito terapêutico, é importante saber qual o mais indicado para a sua pele.
É importante salientar que pessoas com peles oleosas também devem fazer uso de hidratantes, sempre tomando um cuidado maior com o tipo de produto escolhido para que ele não acabe lhe causando problemas, como a acne, por exemplo.

PROTETOR SOLAR MESMO EM DIAS NUBLADOS

O protetor solar é imprescindível durante todos os dias do ano, independente do clima. Durante dias nublados ou chuvosos ainda existe a incidência de raios UV, que causam manchas e envelhecimento precoce da pele. Por isso, é importantíssimo usar protetor solar todos os dias, mesmo que você passe a maior parte do dia em um local fechado.Lembre-se: Ele deve ser reaplicado no decorrer do dia.

BEBA MUITA ÁGUA

Durante o inverno, involuntariamente acabamos diminuindo a quantidade de água ingerida, afetando diretamente não só a saúde da nossa pele como também nossa saúde no geral. É importante beber, todos os dias, no mínimo 2 litros de água (a não ser que você tenha alguma doença circulatória). Esse hábito fará toda a diferença na estética e saúde de sua pele, tornando-a, mais resistente e com viço.

EVITE BANHOS QUENTES

Sabemos que é difícil não deixar a água do chuveiro um pouco mais quente que o normal durante o inverno, mas pela saúde da sua pele é melhor, ou então, diminuir o tempo dos banhos.
A água quente danifica a pele, prejudicando sua hidratação e deixando-a com um aspecto ressecado. No caso de pessoas que já possuem uma pele mais seca ou doenças como diabetes, problemas vasculares e de tireoide, esse problema se agrava ainda mais.

CUIDADO COM AS ESPONJAS

A água quente já agride naturalmente a pele, então quando usamos esponjas com textura muito áspera, esfoliamos a cútis e removemos as células que ajudam na proteção, intensificando os danos causados. Opte por sabonetes suaves, evitando produtos com ação demasiadamente esfoliante.

Com dicas simples já é possível fazer uma grande diferença no aspecto e na saúde de sua pele.Para um tratamento mais intenso, consulte um dermatologista e procure manipular sua receita.A Proderma conta com especialistas que garantem uma altíssima qualidade para o seu produto, melhorando seus resultados finais.

Entre em contato e faça um orçamento!

Coronavírus

Coronavírus

Antes de falarmos sobre Coronavírus, vamos entender como os vírus agem no nosso organismo?

Vírus são microscópicas cápsulas proteicas que envolvem material genético em forma de DNA (adenovírus) e/ou RNA (retrovírus). Quando transmitidos por insetos (p.ex.: febre amarela, dengue e zika) são considerados Arbovírus. Essas partículas têm a capacidade de infectar células, alterando todo o mecanismo bioquímico e fisiológico de um organismo. Os vírus são inertes, ou seja, não são constituídos por células (acelulares) e, por isso, não conseguem se multiplicar e nem sobreviver se não houver um organismo hospedeiro que forneça os nutrientes necessários para sua atividade metabólica. Em vista disso, há na comunidade científica um grande debate sobre se os vírus devem ou não ser considerados seres vivos.

Quando os ligantes proteicos do vírus reconhecem e se aderem aos receptores de células humanas específicas, a carga genética viral é injetada no interior das células hospedeiras. É a partir desse mecanismo que a célula infectada, ao confundir e reconhecer o material genético invasor como sendo o seu, interrompe a síntese de suas próprias proteínas e favorece a duplicação e tradução da molécula genética viral. Após esse processo, as células hospedeiras têm suas funções reprogramadas pelas sinalizações biológicas virais fazendo com que os vírus dominem a nossa maquinaria celular usando-a em benefício tanto de sua multiplicação quanto da manifestação clínica de seus efeitos infecciosos.

As fases da infecção viral são divididas em: infecção – corresponde ao conflito entre os mecanismos de defesa do hospedeiro e a capacidade de agressão do microrganismo; período de incubação – é o período compreendido entre o início da infecção e o momento em que os primeiros sintomas se tornam aparente; período prodrómico – período em que o indivíduo apresenta sintomas clínicos generalizados da doença e período de transmissão – quando o indivíduo infectado permanece excretando e transmitindo o vírus, respectivamente.

O Coronavírus recebe esse nome visto que seu envelope (cápsula) viral apresenta ligantes proteicos em forma de espinhos, conferindo à partícula uma estrutura que lembra uma coroa. Há diferentes tipos de Coronavírus que podem causar doenças respiratórias e/ou gastrointestinais. A diferença entre eles pode ser explicada pelo genoma diversificado que apresentam: seja por mutações adquiridas para sobrevivência, seja por alterações de bases nucleotídicas devido à promiscuidade genética que manifestam por meio de várias inserções em células hospedeiras. Alguns Coronavírus causam doenças mais graves tais como Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavírus (SARS-CoV) – primeiramente identificada na China em 2003 – e Middle East Respiratory Syndrome Coronavírus (MERS-CoV) identificada pela primeira vez na Arábia Saudita em 2012. O novo Coronavírus (2019-nCoV ou SARS-CoV-2) que causa a Coronavírus Disease (COVID-19) identificada em 31/12/2019 na China foi descoberto em um grupo de pessoas acometidas por pneumonia e associado ao consumo e ao contato com frutos do mar e animais vivos expostos nos mercados da cidade de Wuhan. A doença se alastrou por todos os continentes devido ao contágio rápido e silencioso que todos os vírus apresentam.

O Coronavírus circula no ambiente de vários animais podendo ‘migrar’ para os humanos (spillover) devido a mutações genéticas no próprio vírus ou ainda pelo contato entre humanos e animais. A transmissão entre seres humanos ocorre por meio da inalação de gotículas liberadas pela tosse e/ou espirro de uma pessoa infectada. O período médio de incubação do Coronavírus é de 5 dias podendo chegar a 14 dias. Os sintomas do Coronavírus podem ser moderados ou severos e se manifestam por meio de febre, dor de cabeça, tosse seca, falta de ar, pneumonia e falência renal. O diagnóstico é feito por meio de PCR (Polymerase Chain Reaction) que identifica a ‘impressão digital’ genética do vírus. Ainda não há tratamento específico para essa doença e os pesquisadores do mundo todo estão trabalhando no desenvolvimento da vacina para Coronavírus.

A prevenção se dá pelas medidas padrões de higiene e distribuição geográfica limitada, tais como:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

 

Outubro Rosa: saiba mais sobre o câncer de mama

Outubro Rosa: saiba mais sobre o câncer de mama

Estima-se que 1 a cada 8 mulheres americanas irão desenvolver câncer de mama invasivo ao logo da vida. Para 2019 foram estimados 59.700 novos casos de câncer de mama no Brasil. Em janeiro de 2018 já havia mais de 3,1 milhões de mulheres americanas com histórico dessa doença, incluindo as que estavam em processo e as que já haviam terminado o tratamento. Além das estatísticas referentes ao público feminino, há um alerta para o crescimento de novos casos de câncer de mama no sexo masculino.

A maioria dos cânceres de mama é diagnosticada em mulheres com mais de 55 anos. Além dos riscos inerentes ao gênero e ao envelhecimento, o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama praticamente dobra se tiver um parente de primeiro grau diagnosticado com essa doença.

Cerca de 5 e 10% dos cânceres de mama estão ligados a mutações genéticas herdadas dos pais. A causa mais comum de câncer de mama hereditário é uma mutação no gene BRCA1 ou BRCA2. Estatisticamente, as mulheres com uma mutação BRCA1 têm um risco de 55 e 65% ao longo da vida de desenvolver câncer de mama. Para mulheres com mutação no BRCA2, o risco ao longo da vida é de 45%. As consequências das mutações nos genes BRCA1 e BRCA 2 aumenta também o risco de aparecimento de câncer de ovário.

Muitos outros genes também podem levar ao desenvolvimento de câncer de mama. Como exemplo podemos citar o gene ATM (associado à doença ataxia-telangiectasia responsável por causar descoordenação motora e imunodeficiência), o TP53 (associado a síndrome de Li-Fraumeni caracterizada pelo aparecimento de tumores primários de início precoce), o CHEK2, o PTEN (associado a síndrome de Cowden responsável pelo crescimento de tumores iguais múltiplos), o CDH1, o STK11 e o PALB2 que, por sua vez, sintetiza uma proteína que interage com a proteína codificada pelo gene BRCA2.

O câncer de mama, além de ocorrer em áreas distintas da mama tais como os ductos, os lóbulos ou o tecido intermediário, tem seu tipo determinado pelas células específicas afetadas. De acordo com as células envolvidas, os cânceres de mama podem ser classificados em duas categorias: carcinomas e sarcomas. Os carcinomas são provenientes do componente epitelial das mamas cujas células revestem os lóbulos e os ductos terminais responsáveis pela produção de leite. Os sarcomas representam uma forma mais rara de câncer de mama decorrentes dos componentes estromais que abrangem os miofibroblastos e células dos vasos sanguíneos.

Com base em critérios de características patológicas e de invasividade, os cânceres de mama comuns podem ser divididos em três grupos principais: câncer de mama não invasivo, invasivo e metastático. O não invasivo se desenvolve in situ, dentro de ductos normais pré-existentes. O invasivo é caracterizado por células cancerígenas que se espalham para fora dos lóbulos e ductos mamários normais comprometendo também o tecido estromal circundante. Os cânceres de mama metastático são considerados os de estágio avançado cujas células doentes se espalham e acometem outros órgãos do corpo.

A boa notícia para as pessoas acometidas pelo câncer de mama é que as taxas de mortalidade vêm diminuindo desde 1990 devido ao melhor entendimento à nível celular, molecular e genômico sobre essa doença. Os estudos de expressão gênica identificaram vários subtipos de câncer de mama que diferem significativamente no prognóstico e nos alvos terapêuticos presentes nas células cancerígenas. Uma vez que a genética permite determinar o local alvo que se busca curar, o tratamento passa ser mais personalizado e bem mais eficiente, com menor probabilidade das reações adversas ocasionadas pela quimioterapia.

Para entendermos melhor o motivo pelo qual o câncer de mama se manifesta, precisamos unir a bioquímica e a genética molecular. As proteínas codificadas pelos genes BRCA atuam reparando danos no DNA e, portanto, suprimindo o desenvolvimento de tumores. Quando sua funcionalidade é comprometida por uma mutação, a inibição da tumorigênese é cessada favorecendo a proliferação celular. Os receptores tirosina-quinase do fator de crescimento epidérmico humano 2 (HER2), ao desencadear a fosforilação dos domínios proteicos, estimula a sinalização oncogênica levando à proliferação exacerbada de células tumorais.

As células do câncer de mama têm expressão relativamente alta de receptores nucleares de estrogênio (ER) responsáveis pela regulação do evento transcricional. Essa ação faz com que os genes alvo tenham sejam altamente expressos, levando também ao desequilíbrio de crescimento celular. Esse é o motivo pelo qual a utilização dos anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal são associados ao aumento da chance de ocorrência do câncer de mama.

No entanto, a doença, assim como qualquer outro fenótipo, não se manifesta apenas devido aos fatores genéticos. Os fatores ambientais também determinar a maneira como nosso organismo irá reagir a determinada pré-disposição. Entre os fatores não genéticos que propiciam a manifestação do câncer de mama, podemos citar: Histórico familiar de câncer de mama; Etnia; Radioterapia torácica; Exposição ao dietilestilbestrol (DES); Utilização de contraceptivos orais; Exposição à terapia de reposição hormonal; Consumo excessivo de álcool e Falta de exercício físico. A obesidade também já foi cientificamente associada ao câncer de mama.  Antes da menopausa os ovários das mulheres produzem a maior parte do estrogênio do corpo, enquanto o tecido adiposo produz apenas uma pequena quantidade. Após a menopausa, visto que os ovários param de produzir estrogênio, a maior parte do estrogênio de uma mulher vem do tecido adiposo.

Não esqueça: os exames médicos periódicos e o autoexame das mamas são indispensáveis para a saúde. Quanto antes identificado, maior a chance de cura do câncer de mama. Caso perceba qualquer um desses sintomas, procure imediatamente o médico:

  1. Secreção nos mamilos;
  2. Alteração da coloração da mama;
  3. Edema nas mamas e/ou axilas;
  4. Inversão anormal do mamilo;
  5. Nódulo endurecido que surge na axila;
  6. Coceira no mamilo que não melhora com uso de corticoide.

Fórmulas com qualidade comprovada pela Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (SINAMM).

Contate agora mesmo a nossa Equipe Farmacêutica!

(19) 3447-7000 (Matriz Centro)
(19) 3421-2112 (Filial Vila Rezende)
 (19) 99883-9009(Whatsapp - Matriz Centro)
 (19) 99811-3752 (Whatsapp - Filial Vila Rezende)


 farmaceuticoresponde@farmaciaproderma.com.br

 contato@farmaciaproderma.com.br

Importante

O texto acima foi elaborado com base em estudos científicos, porém salientamos que o conteúdo é apenas de caráter informativo. Antes de adquirir e fazer uso do produto é importante consultar um profissional habilitado (seu médico ou nutricionista) ou os farmacêuticos Proderma. Envie um email ou entre em contato com as nossas lojas pelos telefones (19) 3447-7000 e 3421-2112.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no email
Email
Proderma

Desde 1982 criando produtos de qualidade com foco no cliente e rigoroso controle de processos.

PRODERMA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO LTDA

Curta nossa página

Atendimento

Segunda a Sexta-feira:
das 8:00 as 18:00

Sábado:
das 8:00 as 12:00

Contato

contato@farmaciaproderma.com.br

 (19) 3447-7000 (Telefone - Matriz Centro)
 (19) 99883-9009 (Whatsapp - Matriz Centro)

 (19) 3421-2112 (Telefone - Filial Vila Rezende)
 (19) 99811-3752 (Whatsapp - Filial Vila Rezende)

Localização

Loja 1 (Matriz): Rua Prudente de Moraes, 917 – Centro – Piracicaba SP / CEP 13400-315

Responsável Técnico: Helena de Fátima Baptistella De Nápoli – CRF SP 8438

Autorização ANVISA: AFE nº 25351.201321/2002-41 – AE nº 25001.013346/85

Certidão de Regularidade: CRF/SP nº 8438. Licença VISA Piracicaba nº 0938/2002

CEVS nº 353870901-477-000085-1-6 AFE Autoriz/MS nº 0.09951.3 AE Autoriz/MS nº 1.34608.8

Alvará de Licença MAPA nº 1415 2009

CNPJ 50.764.604/0001-82

Loja 2 (Filial): Avenida Rui Barbosa, 519 – Vila Rezende – Piracicaba SP / CEP 13405-217

Responsável Técnico João Roberto Baptistella – CRF SP 1.13147-3

Autorização ANVISA: AFE nº 25351.202644/2002-51 – AE nº 0.09951.3

Certidão de Regularidade: CRF/SP nº 13147. Licença VISA Piracicaba nº 939/2002

CEVS nº 353870901-477-000085-1-6 AFE Autoriz/MS nº 0.09951.3 AE Autoriz/MS nº 1.12772.6

CNPJ 50.764.604/0002-63