3447-7000 / 3421-2112 contato@farmaciaproderma.com.br

      Entrevista doutora Andréa Angeli – Mastologista e membro da Sociedade Brasileira de Oncologia

      1 – Quais exames toda mulher deve fazer, e com que frequência? E para qual  faixa etária é indicado?

      Todo mês deve ser realizado o auto-exame, de preferência no período menstrual ou logo após a menstruação, pois a mama encontra-se com consistência menos densa.

      Exames de imagem: ultrassom, ressonância e mamografia. Sua frequência de realização é indicada de acordo com a idade + antecedentes. Uma paciente sem antecedentes para cancer de mama deve começar a realizar as mamografias a partir dos 40 anos anualmente. Quando a quantidade de glândula for muito grande, deve-se realizar um ultrassom juntamente à mamografia.

      Quando houver antecedentes (ou suspeita de câncer hereditário), recomenda-se visitas anuais ao mastologista para realizar os exames necessários a partir dos 25 anos. A ressonância magnética é um exame complementar, geralmente utilizado para esclarecer eventuais dúvidas que possam surgir após a mamografia e ultrassom. É frequentemente utilizado para realizar o planejamento cirúrgico para as pacientes que já tenham sido diagnosticadas com câncer de mama.

      2 – Atualmente, qual é a taxa de cura das mulheres que descobrem o câncer de mama precocemente?

      Sabe-se que o câncer de mama tem altas chances de cura (95%) quando diagnosticado precocemente, principalmente em tumores que tenham fatores prognósticos intrínsecos favoráveis. Deve-se, entretanto, considerar a idade da paciente e as características do tumor (tipo histológico) para um prognóstico mais preciso.

      3 – Todas as mulheres têm acesso ao tratamento?

      Infelizmente, nem todas a mulheres têm acesso ao tratamento, principalmente aquelas residentes das regiões Norte, Nordeste e zonas rurais. Na região Sudeste, principalmente no estado de São Paulo, existe o acesso ao diagnóstico e tratamento da doença, independentemente de se possuir plano privado de saúde ou não.

      4 – Qual idade tem maior incidência de câncer de mama?

      A maior prevalência ocorre em pacientes idosas após a menopausa (com mais de 60 anos de idade). Entretanto, temos observado um aumento no diagnóstico em mulheres pré-menopausadas (mais jovens) nos últimos anos. Nessa ocasião (pré-menopausa), o câncer de mama costuma ser mais agressivo, exigindo um tratamento mais rigoroso, desde a parte cirúrgica até os processos de quimio e radioterapia.

      5 – Qual a maneira correta de se fazer o autoexame? O quanto isso é importante para o diagnóstico?

      De pé, com o braço da mama a ser examinada colocado atrás da cabeça. Com a outra mão (se possível ensaboada, como durante o banho), realizar a palpação com a mão espalmada por toda a área da mama, no sentido da periferia ao centro da mama.

      Deve-se realizar uma leve pressão (não pressionar demais para evitar ferimentos e hemorragias) na região mamilar para verificar se há saída de secreção.  Lembrar que o exame é mais preciso no período menstrual ou logo após a menstruação, pois a mama encontra-se com consistência menos densa.

      Ao terminar, repetir o processo na outra mama.

      Continuando, posicionar-se em frente ao espelho com os braços levantados e observar retrações, saliências, afundamentos ou quaisquer outros sinais que chamem a atenção. Repetir o processo com os braços abaixados junto ao corpo.

       

      Compartilhe

      Envie essa matéria para os seus amigos!