3447-7000 / 3421-2112 contato@farmaciaproderma.com.br

      Longe de ser apenas uma molécula antioxidante, a Coenzima Q10 está presente em todo o nosso organismo, participando também da produção de energia (ATP) em nossas células.

      Por ser essencial nesse processo, órgãos com maior demanda energética (como o coração, o cérebro, rins e fígado), apresentam maiores concentrações de Coenzima Q10.

      Sabe-se que o envelhecimento, maus hábitos alimentares, estresse e infecções afetam nosso estoque dessa molécula.

      Portanto, sua suplementação pode ser muito útil para evitar as diversas disfunções metabólicas trazidas por sua deficiência.

      Vários estudos demonstram que a suplementação com a Coenzima Q10 traz diversos benefícios, como:

      • Antioxidante potente
      • Melhora a qualidade de vida na melhor idade
      • Coadjuvante em doenças
      • Melhora o índice glicêmico
      • Neuroprotetor
      • Reduz o risco de lesão muscular em atletas

      A Coenzima Q10 é melhor absorvida na presença de alimentos ricos em lipídeos. Depois de absorvida, a CoQ10 é transportada ao fígado onde é incorporada dentro de lipoproteínas e concentrada nos tecidos.

      A concentração de CoQ10 nos tecidos humanos atinge seu pico aos 20 anos, diminuindo com a idade, o que aumenta a necessidade de sua suplementação, já que a falta de CoQ10 pode causar danos no cérebro, em outros órgãos e mitocôndrias no organismo (LINNANE, 1998; BLIZNAKOV, 1999).

      Comprovação de eficácia

      1. Doenças mitocondriais

      Um estudo publicado por Berbel-Garcia (2004) mostrou que a CoQ10 pode ser um suplemento eficaz na melhora da qualidade de vida em casos doenças mitocondriais.

      1. Mal de Parkinson

      Alguns estudos preliminares começaram a sugerir que, em estágios iniciais da doença, a ingestão diária de determinadas doses de CoQ10 pode ajudar a retardar o processo degenerativo.

      No final de um dos estudos, em 2002, grupos aos quais eram ministrados 1200mg diárias de CoQ apresentavam melhora na função mental, motora e na capacidade de realizar atividades cotidianas (como se vestir e se alimentar)

      44% maior em comparação ao grupo tratado com placebo (PALAN PR, 2010).

      Estudos preliminares sugeriram um retardo na progressão da doença como nos casos de Parkinson. Contudo, os experimentos ainda estão em progresso (http://huntingtonstudygroup.org/about-clinical-trials/).

      1. Infarto Agudo do Miocárdio

      A utilização da CoQ10 como suplemento para pacientes que sofreram um ataque cardíaco mostrou uma diminuição dos casos de outros problemas relacionados, angina, arritmia e até mesmo outros infartos subsequentes comparando-se com pacientes que tomaram placebo em vez de CoQ10 após sofrerem o ataque (LODI RT, 2000; SING RB, 1998).

      1. Hipertensão

      A suplementação com CoQ10 pode se mostrar promissor no tratamento da hipertensão. Alguns estudos já realizados, a administração da CoQ10 conseguiu melhorar a condição de alguns voluntários em comparação aos que tomaram apenas placebo (SING RB, 1999; BURKE BE, 2001).

      1. Lesão muscular em atletas de alto desempenho

      Um estudo avaliou a redução da lesão muscular em atletas de elite japoneses com a suplementação de Coenzima Q10. Durante o tratamento, os atletas praticavam Kendo por 5,5 horas/dia. Amostras de sangue foram retiradas duas semanas antes, nos dias de treinamento, 1, 3 e 5 semanas após o treino.

      Os parâmetros de injuria muscular foram estabelecidos com base na concentração plasmática da enzima creatina quinase e de mioglobina.

      Os resultados mostraram:

      • Atividade da creatina quinase e concentração plasmática mioglobina aumentaram significativamente em ambos os grupos nos dias 3 e 5;
      • A concentração plasmática de creatina quinase e mioglobina e a peroxidação lipídica no dia 3 de tratamento foi menor no grupo Coenzima Q10.

      A suplementação com Coenzima Q10 300mg, uma vez ao dia, reduz o risco de lesão muscular induzida por exercícios físicos em atletas treinados. Segundo os pesquisadores, a administração aguda de CoQ10 em jovens saudáveis modifica o metabolismo energético mitocondrial e os estímulos do sistema nervoso autônomo após a realização de exercícios físicos correlacionando a eficácia ergogênica desta suplementação (ZHENG A, 2008).

      Outro estudo pré-clínico avaliou os efeitos da suplementação com CoQ10 na injúria muscular e no estresse oxidativo induzidos por exercícios físicos exaustivos (SOHAL RS, 2007).

      Os resultados mostram que a suplementação com CoQ10 reduz a injúria muscular em atletas submetidos a esforço físico exaustivo. A CoQ10 reduz a concentração plasmática de creatina quinase, enzima indicadora de estresse muscular.

      A eficiência da suplementação com CoQ10 na prevenção do dano muscular causado por exercícios físicos e treinamento esportivo está relacionada com os seguintes fatores:

      • Potente ação antioxidante;
      • Propriedades estabilizadoras da membrana;
      • Atua na síntese de ATP nas mitocôndrias;
      • Estimula a captação de oxigênio no músculo esquelético;
      • Reduz o risco de lesão muscular em atletas.

        Referências bibliográficas

        Aberg,F.et al. Archives of Biochemistry and Biophysics. 1992; 295:230-234.
        Berbel-Garcia A, et.al. Coenzyme Q10 improves lactic acidosis, strokelike episodes, and epilepsy in a patient with
        MELAS. Clinical Neuropharmacology. 2004; 27:187-191.
        Bliznakov E. Aging, mitochondria, and coenzyme Q10: The neglected relationship. Biochimie, 1999; 81:1131-1132.
        Burke BE, Neuenschwander R, Olson RD. Randomized, double-blind, placebo-controlled trial of coenzyme Q10 in
        isolated systolic hypertension. South Med J. 2001; 94:1112-1117.
        http://huntingtonstudygroup.org/about-clinical-trials/ – último acesso em 16/05/2017.
        Linnane AW, Kovalenko S, Gingold EB. The university of bioenergetics disease: age associated cellular bioenergetics
        degradation and amelioration therapy. Ann NY Acad Sci, 1998; 854:202-213.
        Littarru GP. Energy and defense. Facts and perspectives on Coenzyme Q10 in biology and medicine. Casa Editrice
        Scientifica Internazionale. 1994; 1-91.
        Lodi R. Treatment with coenzyme Q10 plus vitamin E improves in vivo cardiac and skeletal muscle bioenergetics in
        patients with Friedrich´s ataxia. Departament of Biochemistry, Universyti of Oxford, UK. 2000.
        Okamoto T. et al. Interna.J.Vit.Nutr.Res. 1989; 59:288-292.
        Palan PR, Strubde F, Letko J, Sadikovic A Mikhail MS. Effects of oral, vaginal and transdermal hormonal
        contraception on serum levels of Coenzyme Q10, Vitamin E, and total antioxidant activity. Obstetrics and
        Gynecology International, 2010.
        Palan PR, Strube F, Letko J, Sadikovic A, Mikhail MS. Effects of Oral, Vaginal, and Transdermal hormonal
        contraception on Serum levels of Coenzyme Q10, vitamin E, and total antioxidant activity. Obstetrics and
        Gynecology International, 2010.
        Schults CW, Oakes D, Kieburtz K, Beal F, Haas R, Plumb S, Juncos JL, Nutt J, et.al. Effects of coenzyme Q10 in early
        Parkinson disease: evidence of slowing of the functional decline.
        Shindo Y, Witt E, Han D, Epstein W, and Packer L. Enzymic and nonenzymic antioxidants in epidermis and dermis of
        human skin, Invest. Dermatol. 1994; 102:122-124.
        Singh RB, Niaz MA, Rastogi SS, et al. Effect of hydrosoluble coenzyme Q10 on blood pressures and insulin resistance
        in hypertensive patients with coronary artery disease. J Hum Hypertens. 1999; 13:203-208.
        Singh RB, Wander GS, Rastogi A, et al. Randomized double-blind placebo controlled trial of coenzyme Q10 in
        patients with acute myocardial infarction. Cardiovasc Drugs Ther. 1998; 12:347-353.
        Sohal RS, Forster MJ. Coenzyme Q, oxidative stress and aging. Mitochondrion. 2007 Suppl: S103-11 Epub 2007 Mar
        30.
        Storck A, Jost WH, Vieregge P, Spiegel J, Greulich W, Durner J, Muller T, Kupsch A, Henningsen H, Oertel WH, Fuchs
        G, Kuhn W, Niklowitz P, Koch R, Herting B, Reichmann H, German. Coenzyme Q(10) study group. Randomized,
        double-blind, placebo-controlled trial on symptomatic effects of coenzyme Q10 in Parkison disease. Arch Neurol.
        2007; 64(7): 938-44.
        The NINDS NET-PD Investigators. A randomized clinical trial of coenzyme Q10 and GPI-1485 in early Parkinson
        desease. Neurolology. 2007; 68(1): 20-8.
        Zheng A, Moritani T. Influence of CoQ10 on autonomic nervous activity and energy metabolism during exercise in
        healthy subjects. J Nutr Sci Vitaminol. 2008, 54(4): 286-90.

      Fórmulas com qualidade comprovada pela Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (SINAMM).

      Contate agora mesmo a nossa Equipe Farmacêutica!

      (19) 3447-7000

       farmaceuticoresponde@farmaciaproderma.com.br

       contato@farmaciaproderma.com.br

      Importante

      O texto acima foi elaborado com base em estudos científicos, porém salientamos que o conteúdo é apenas de caráter informativo. Em caso de dúvidas, consultar um profissional habilitado (seu médico ou nutricionista) ou os farmacêuticos Proderma. Envie um email para farmaceuticoresponde@farmaciaproderma.com.br ou entre em contato com as nossas lojas pelos telefones (19) 3447-7000 e 3421-2112.

      Share on whatsapp
      WhatsApp
      Share on facebook
      Facebook
      Share on email
      Email
      Proderma

      Desde 1982 criando produtos de qualidade com foco no cliente e rigoroso controle de processos.

      PRODERMA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO LTDA

      Curta nossa página

      Atendimento

      Segunda a Sexta-feira:
      das 8:00 as 18:00

      Sábado:
      das 8:00 as 12:00

      Contato

      contato@farmaciaproderma.com.br

       (19) 3447-7000 (Telefone - Matriz Centro)
       (19) 99811-7176 (Whatsapp - Matriz Centro)

       (19) 3421-2112 (Telefone - Filial Vila Rezende)
       (19) 99811-3752 (Whatsapp - Filial Vila Rezende)

      Localização

      Loja 1 (Matriz): Rua Prudente de Moraes, 917 – Centro – Piracicaba SP / CEP 13400-315

      Responsável Técnico: Helena de Fátima Baptistella De Nápoli – CRF SP 8438

      Autorização ANVISA: AFE nº 25351.201321/2002-41 – AE nº 25001.013346/85

      Certidão de Regularidade: CRF/SP nº 8438. Licença VISA Piracicaba nº 0938/2002

      CEVS nº 353870901-477-000085-1-6 AFE Autoriz/MS nº 0.09951.3 AE Autoriz/MS nº 1.34608.8

      Alvará de Licença MAPA nº 1415 2009

      CNPJ 50.764.604/0001-82

      Loja 2 (Filial): Avenida Rui Barbosa, 519 – Vila Rezende – Piracicaba SP / CEP 13405-217

      Responsável Técnico João Roberto Baptistella – CRF SP 1.13147-3

      Autorização ANVISA: AFE nº 25351.202644/2002-51 – AE nº 0.09951.3

      Certidão de Regularidade: CRF/SP nº 13147. Licença VISA Piracicaba nº 939/2002

      CEVS nº 353870901-477-000085-1-6 AFE Autoriz/MS nº 0.09951.3 AE Autoriz/MS nº 1.12772.6

      CNPJ 50.764.604/0002-63