3447-7000 / 3421-2112 contato@farmaciaproderma.com.br

      Você já ouviu falar sobre o Whey Protein? Sabia que existem vários tipos? Confira os detalhes abaixo na matéria.

      Nomes Comuns:

      Bovine Whey Protein Concentrate (Concentrado protéico do soro do leite bovino), Goat Milk Whey, Goat Whey, Milk Protein Isolate (Isolado protéico do soro do leite), Mineral Whey Concentrate (Concentrado mineral do soro do leite), Whey Peptides (Peptídeos do soro do leite), Whey Protein Hydrolysate (Hidrolisado protéico do soro do leite)

      Nome Científico:

      Usos:

      Por via oral, whey protein é utilizado como um suplemento alimentar, como uma alternativa ao leite para pessoas com intolerância à lactose, para alergia a proteína, asma, hiperlipidemia, obesidade e perda de peso, substituindo ou suplementando fórmulas infantis baseadas em leite, doenças atópicas em crianças, tratamento de carcinoma metastásico, câncer de cólon e para reversão da perda de peso e aumento da glutationa (GSH) em pessoas com HIV.

      Segurança:

      PROVAVELMENTE SEGURO… quando são utilizados produtos de qualidade por via oral e de modo adequado. Não há nenhum relato de toxicidade em trabalhos clínicos (4926, 4927, 4929, 4930, 4932, 4935, 4936, 4941).

      GRAVIDEZ E LACTAÇÃO: PROVAVELMENTE SEGURO… quando são utilizados produtos de qualidade por via oral e de modo adequado (4929).

      Eficácia:

      POSSIVELMENTE EFICAZ
      Doença atópica. A ingestão de whey protein parece diminuir o risco de desenvolvimento de doença atópica em crianças geneticamente predispostas à alergia (4927, 4929).

      Perda de peso relacionada à HIV/AIDS. A ingestão de whey protein parece auxiliar na reversão da perda de peso em pacientes com HIV (4926, 4932, 4935, 4936).

      EVIDÊNCIA SEGURA INSUFICIENTE para AVALIAÇÃO
      Câncer.
      Há evidência preliminar de que a ingestão de whey protein poderia auxiliar a produzir uma regressão do tumor em alguns pacientes com carcinoma metastásico (4930) São necessárias mais evidências para avaliar whey protein para esta indicação.

      Mecanismo de ação:

      Whey é um subproduto da fabricação de queijo que contém carboidratos, inclusive lactose; minerais, inclusive cálcio, sódio, fósforo e potássio (2640); proteínas incluindo alfalactalbumina, beta-lactoglobulina, lactoferrina, albumina sérica, lisozima e imunoglobulinas A, G e M (2640); e cisteína (4937).

      A quantia e a atividade das imunoglobulinas e de outras proteínas presentes no Whey protein podem variar, dependendo dos métodos de produção utilizados (2640).

      Whey protein tipicamente contém 24% de aminoácidos de cadeia ramificada que durante o estresse são prontamente oxidados como uma fonte de energia. Whey protein também é uma fonte de gama-glutamilcisteína, um precursor da glutationa (GSH), que atua como um antioxidante intracelular (2640). GSH é depletada pelo estresse oxidativo que ocorre durante infecções, traumas, ou cirurgias de grande porte (2640).

      Baixos níveis de GSH em pacientes com HIV foram associados ao dano da função da célula-T (2640). Uma formulação de whey protein específica (Immunocal) pode aumentar a taxa de glutationa reduzida para glutationa oxidada (GSH/GSSG) nos linfócitos, um marcador de estresse oxidativo em doenças mediadas por espécies reativas do oxigênio (ROS), incluindo debilitação relacionada à AIDS (1382). Produtos de Whey também apresentam efeitos anti-HIV e antiapoptótico in vitro (4937).

      Em pacientes com infecção por HIV, whey protein aumenta o peso corporal (4926, 4935, 4936), eleva a GSH nas células mononucleares (4926), aumenta a albumina, aumenta a contagem de CD4 e CD8 (4935) e reduz a diarréia (4932, 4936).

      Whey protein também possui atividade imunomoduladora (4939, 4940). Pensa-se que as imunoglobulinas do whey protein podem se ligar a antígenos no intestino e prevenir a absorção dos mesmos (2640). Formulações de whey protein podem ser produzidas com elevada quantidade de imunoglobulinas específicas. Por exemplo, whey protein derivado do leite de vaca infectada com Cryptosporidium pode ser uma fonte rica em anticorpos contra Cryptosporidium (2640). Estes tipos de formulações de whey protein podem reduzir a infecção gastrintestinal por Cryptosporidium parvum em modelos animais (4934).

      Alguns pesquisadores estão interessados em usar whey protein para prevenção de câncer. Pensa-se que whey protein poderia prevenir o câncer provendo substratos de GSH e aumentando os níveis de GSH no tecido (4943).

      Whey protein poderia apresentar efeito antitumoral depletando as células tumorais de GSH, tornando-as mais vulneráveis à quimioterapia (2640, 4930). Modelos animais de câncer indicaram que dietas com whey protein poderiam proteger contra certos cânceres (3976, 4928, 4933).

      Pesquisadores também estão interessados em whey protein para condições cardiovasculares. Há evidência preliminar de que uma combinação sem igual de whey protein hidrolisada, isolada, inibe a enzima conversora da angiotensina (ECA) (6171).

      Também há interesse em whey protein como uma fonte de proteína em dietas ricas em proteínas usadas para a perda de peso. Em modelos animais, uma dieta com whey protein parece reduzir o peso e melhorar a sensibilidade à insulina comparado à carne vermelha (12111).

      Reações adversas:

      Whey protein normalmente é bem tolerado por via oral. Doses altas de 2,3 a 6,5 g/kg/dia podem causar aumento da freqüência de evacuação, náusea, sede, inchaço, câimbras, redução do apetite, fadiga e dor de cabeça. Whey protein também pode duplicar o nível de nitrogênio uréico no sangue (NUS) (2640).

      Interações com Ervas & Suplementos:

      Desconhecidas

      Interações com medicamentos:

      ALENDRONATO (FOSAMAX)
      Grau de interação = Moderado, ter cautela com esta combinação.
      Severidade = Moderada.
      Ocorrência = Provável.
      Nível de evidência = D.
      Teoricamente, o uso de whey protein com alendronato poderia diminuir sua absorção. Whey protein contém minerais que poderiam se ligar ao alendronato no intestino (9)

      LEVODOPA
      Grau de interação = Grande, não usar esta combinação.
      Severidade = Alta.
      Ocorrência = Provável.
      Nível de evidência = D.
      Teoricamente, o uso concomitante poderia diminuir a absorção da levodopa (Laradopa) (4944).

      ANTIBIÓTICOS QUINOLONAS
      Grau de interação = Moderado, ter cautela com esta combinação
      Severidade = Moderada.
      Ocorrência = Provável.
      Nível de evidência = D.
      Teoricamente, uso de whey protein com quinolonas poderia diminuir sua absorção. Whey protein contém minerais que poderiam se ligar às quinolonas no intestino (9).

      TETRACICLINAS
      Grau de interação = Moderado, ter cautela com esta combinação.
      Severidade = Moderada.
      Ocorrência = Provável.
      Nível de evidência = D.
      Teoricamente, o uso de whey protein com tetraciclinas poderia diminuir a absorção. Whey protein contém minerais que poderiam se ligar às tetraciclinas no intestino (9).

      Interações com alimentos:

      Desconhecida

      Interações com exames laboratoriais:

      NITROGÊNIO URÉICO NO SANGUE (NUS): Whey protein em doses de 2,3 g/kg/dia ou maiores, adicionalmente à uma dieta normal, pode produzir aumento dobrado nas concentrações de NUS (2640). Porém, whey protein não altera a creatinina sérica, indicando que o efeito se deve à carga protéica, em vez de redução da função renal (2640).

      Interações com doenças ou condições:

      ALERGIA AO LEITE: Indivíduos alérgicos aos produtos derivados do leite bovino devem evitar o uso de whey protein (4942).

      Dosagem/Administração:

      ORAL: A dose típica como um suplemento dietético para pessoas com HIV é de 8,4 – 84 gramas por dia (4926, 4935), ou 2,4 g/kg por dia em uma fórmula enriquecida caloricamente (4941), ou 42-84 gramas por dia em uma fórmula enriquecida com glutamina (4935). A dose para tratar carcinoma metastásico é de 30 gramas por dia (4930).

      Comentários:

      Referências:

      9 Martindale W. Martindale the Extra Pharmacopoeia. Pharmaceutical Press, 1999.
      1382 Dallas S, Stempak D, Koren G, et al. Whey protein concentrate (WPC) modulation of lymphocyte glutathione levels in vitro. Clin Pharmacol Ther 2000;67:156 (abstract PIII-56).
      2640 Bell SJ. Whey protein concentrates with and without immunoglobulins: a review. J Med Food 2000;3:1-13.
      3976 Hakkak R, Korourian S, Shelnutt SR, et al. Diets containing whey proteins or soy protein isolate protect against 7,12- dimethylbenz(a)anthracene-induced mammary tumors in female rats.
      Cancer Epidemiol Biomarkers Prev 2000;9:113-7.
      4926 Bounous G, Baruchel S, Falutz J, et al. Whey proteins as a food supplement in HIV-seropositive individuals. Clin Invest Med 1993;16:204- 9.
      4927 Vandenplas Y, Hauser B, Van den Borre C, et al. Effect of a whey hydrolysate prophylaxis of atopic disease. Ann Allergy 1992;68:419-24.
      4928 McIntosh GH. Colon cancer: dietary modifications required for a balanced protective diet. Prev Med 1993;22:767-74.
      4929 Fukushima Y, Kawata Y, Onda T, Kitagawa M. Long-term consumption of whey hydrolysate formula by lactating women reduces the transfer of beta-lactoglobulin into human milk. Nutr Sci Vitaminol (Tokyo) 1997;43:673-8.
      4930 Kennedy RS, Konok GP, Bounous G, et al. The use of a whey protein concentrate in the treatment of patients with metastatic carcinoma: a phase I-II clinical study. Anticancer Res 1995;15:2643-9.
      4932 Salomon SB, Jung J, Voss T, et al. An elemental diet containing medium-chain triglycerides and enzymatically hydrolyzed protein can improve gastrointestinal tolerance in people infected with HIV. J Am Diet Assoc 1998;98:460-2.
      4933 Papenburg R, Bounous G, Fleiszer D, Gold P. Dietary milk proteins inhibit the development of dimethylhydrazine-induced malignancy. Tumor Biol 1990;11:129-36.
      4934 Fayer R, Guidry A, Blagburn BL. Immunotherapeutic efficacy of bovine colostral immunoglobulins from a hyperimmunized cow against cryptosporidiosis in neonatal mice. Infect Immun 1990;58:2962-5.
      4935 Vergel NR, Salvato P, Mooney M. Anabolic steroids, resistance exercise and protein supplementation effect on lean body mass in HIV+ patients. Int Conf AIDS 1998;12:557 (abstract # 32185).
      4936 Voss T, Rowe B, Graf L, et al. Management of HIV-related weight loss and diarrhea with an enteral formula containing whey peptides and medium-chain triglycerides. Int Conf AIDS 1991;7:223 (abstract # WB2165).
      4937 Baruchel S, Olivier R, Wainberg M. Anti-HIV and anti-apoptotic activity of the whey protein concentrate: IMMUNOCAL. Int Conf AIDS 1994;10:32 (abstract # 421A).
      4939 Wong CW, Liu AH, Regester GO, et al. Influence of whey and purified whey proteins on neutrophil functions in sheep. J Dairy Res 1997;64:281- 8.
      4940 Wong CW, Watson DL. Immunomodulatory effects of dietary whey proteins in mice. J Dairy Res 1995;62:359-68.
      4941 Engelson ES, et al. Effect of a high protein diet upon protein metabolism in HIV-infected men and women. Int Conf AIDS 1998;12:553 (abstract #32166).
      4942 Laoprasert N, Wallen ND, Jones RT, et al. Anaphylaxis in a milkallergic child following ingestion of lemon sorbet containing trace quantities of milk. J Food Prot 1998;61:1522-4.
      4943 Bounous G, Batist G, Gold P. Whey proteins in cancer prevention. Cancer Lett 1991;7:91-4.
      4944 Semla TP, Beizer JL, Higbee MD. Geriatric Dosage Handbook. 4th ed. Hudson, OH: Lexicomp, 1998.
      6171 Nelson L, Rao A, Olson P. Unique hydrolyzed whey protein isolates with antihypertensive activity. Institute of Food Tech 2000 Ann Mtg & Food Expo:abstract 38-6. Available at:
      ift.confex.com/ift/2000/techprogram/paper_5129.htm 12111 Belobrajdic DP, McIntosh GH, Owens JA. A high-whey-protein diet reduces body weight gain and alters insulin sensitivity relative to red meat in Wister rats. J Nutr 2004;134:1454-8.

      Observações do Tradutor

      Nível de Evidência D: Consenso de Especialista

      Fonte: Natural Medicines – Comprehensive Database

      Importante

      O texto acima foi elaborado com base em estudos científicos, porém salientamos que o conteúdo é apenas de caráter informativo. Antes de adquirir e fazer uso do produto é importante consultar um profissional habilitado (seu médico ou nutricionista) ou os farmacêuticos Proderma. Envie um email para farmaceuticoresponde@farmaciaproderma.com.br ou entre em contato com as nossas lojas pelos telefones (19) 3447-7000 e 3421-2112.

      Share on whatsapp
      WhatsApp
      Share on facebook
      Facebook
      Share on email
      Email
      Proderma

      Desde 1982 criando produtos de qualidade com foco no cliente e rigoroso controle de processos.

      PRODERMA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO LTDA

      Curta nossa página

      Atendimento

      Segunda a Sexta-feira:
      das 8:00 as 18:00

      Sábado:
      das 8:00 as 12:00

      Contato

      contato@farmaciaproderma.com.br

       (19) 3447-7000 (Telefone - Matriz Centro)
       (19) 99883-9009 (Whatsapp - Matriz Centro)

       (19) 3421-2112 (Telefone - Filial Vila Rezende)
       (19) 99811-3752 (Whatsapp - Filial Vila Rezende)

      Localização

      Loja 1 (Matriz): Rua Prudente de Moraes, 917 – Centro – Piracicaba SP / CEP 13400-315

      Responsável Técnico: Helena de Fátima Baptistella De Nápoli – CRF SP 8438

      Autorização ANVISA: AFE nº 25351.201321/2002-41 – AE nº 25001.013346/85

      Certidão de Regularidade: CRF/SP nº 8438. Licença VISA Piracicaba nº 0938/2002

      CEVS nº 353870901-477-000085-1-6 AFE Autoriz/MS nº 0.09951.3 AE Autoriz/MS nº 1.34608.8

      Alvará de Licença MAPA nº 1415 2009

      CNPJ 50.764.604/0001-82

      Loja 2 (Filial): Avenida Rui Barbosa, 519 – Vila Rezende – Piracicaba SP / CEP 13405-217

      Responsável Técnico João Roberto Baptistella – CRF SP 1.13147-3

      Autorização ANVISA: AFE nº 25351.202644/2002-51 – AE nº 0.09951.3

      Certidão de Regularidade: CRF/SP nº 13147. Licença VISA Piracicaba nº 939/2002

      CEVS nº 353870901-477-000085-1-6 AFE Autoriz/MS nº 0.09951.3 AE Autoriz/MS nº 1.12772.6

      CNPJ 50.764.604/0002-63